O Cavaleiro da Morte – livro de Bernard Cornwell



Autor: Bernard Cornwell
Editora: Record
Compre no Submarino

O Cavaleiro da MorteSegundo volume da série Crônicas Saxônicas, escrita por Bernard Cornwell, “O Cavaleiro da Morte” trás a continuação da saga de Uhtred, que agora já é um homem e vive de sua espada como guerreiro, mas ainda tem seu coração dividido entre à lealdade ao povo saxão, ou o amor pelo nórdicos que o criaram. Passando-se logo após “O Último Reino”, os eventos deste livro dão continuidade à história do jovem.

Depois de os dinamarqueses terem conquistaram os reinos saxões da Nortúmbria, Mércia e Ânglia Oriental, o rei Alfredo de Wessex se vê obrigado a refugiar-se junto com sua família e com os poucos homens que lhe sobraram na região pantanosa de Athelingǽg. Convocando, junto com Uhtred, o Fyrd, uma tentativa de exército formado por homens do campo, sem armas adequadas para a luta e que eram obrigados a abandonar suas famílias e irem para as guerras as quais eram convocados. Mesmo sabendo dos riscos, Alfredo espera afugentar os vikings de suas terras ao assinar armistício.

Agora com 21 anos, Uhtred é um homem de família, casado e à espera de um filho, e também é um senhor da guerra, mesmo que seu coração se parta ao ter que lutar contra o povo que ama e à favor de um rei qual odeia profundamente.

Um livro escrito magistralmente, “O Cavaleiro da Morte”, segundo volume da série 'Crônicas Saxônicas', é uma obra que apesar de ser mais curta que os outros volumes da série, também é a mais emocionante. Focando no amadurecimento dos personagens e nas tragédias causadas pela guerra entre os dois povos, o livro continua sendo indispensável para os leitores do primeiro volume da série que querem saber como a saga de Uhtred terminará.

Livros

Um comentário para “O Cavaleiro da Morte – livro de Bernard Cornwell”

  1. Vagner Stefanello says:

    Para mim, o melhor livro dos quatro que eu já li até agora. Vale a pena por toda essa atmosfera criado pelo Bernard Cornwell e por seu um excelente épico de guerra.

Deixe um comentário