Tudo é Óbvio – livro de Duncan J. Watts



Autor: Duncan J. Watts
Editora: Paz e Terra
Compre no Submarino

Tudo é ÓbvioEscrito pelo sociólogo australiano Duncan J. Watts, a obra, que trás em seu subtitulo uma frase inteligente e precisa, foi publicada como “Tudo é Óbvio – Desde Que Você Saiba a Resposta (Como o Senso Comum Nos Engana)” no Brasil pela editora Paz e Terra. Dividido em duas partes, uma sobre senso comum e outra sobre senso incomum, a obra explica como o óbvio e a lógica do dia a dia acabam nos prejudicando em vez de fazer com que obtenhamos sucesso. Durante todo o livro, Duncan nos explica como podemos rever o senso comum para evitar tais problemas.

Dentre outras coisas, o autor explica o porquê a história não pode ser contada enquanto ela acontece; o problema do micro vs macro, por que algumas pessoas são ou parecem ser especiais e nos mostra, através de pesquisas, que muitas vezes pegamos coisas que sabemos pelo senso comum e a usamos para justificar outras, que normalmente não tem nenhuma relação. Estes tipos de explicações que normalmente damos, quando observadas de perto, são menos úteis do que parecem e conspiram para nos fazer acreditar que entendemos mais sobre as coisas do que de fato entendemos.

Sendo considerado um verdadeiro estudo sobre humanidade e sociedade, “Tudo é Óbvio” vale a pena por sua premissa alternativa à maioria dos livros sobe o mesmo assunto e também por ser altamente recomendado pela critica.

Livros

6 comentários para “Tudo é Óbvio – livro de Duncan J. Watts”

  1. Antônio veridiano says:

    Estou lendo pela segunda vez, acho que idéias novas surgem a cada leitura. Veja esta tão atual para o momento que estamos atravessando. O autor dis que o sistema corporativo falha pelas mesmas razões que os planos governamentais. Ou seja, em todos esses casos – dis o autor – um número pequeno de pessoas sentadas em salas de conferência esta usando sua intuição do senso comum para prever, gerenciar ou manipular o comportamento de milhares ou milhões de pessoas distantes e diversas cujas motivações e circunstâncias são muito diferentes das suas.

  2. Antônio veridiano says:

    Acho que é hora de mudar esta coisa antiga.
    Um candidato, em seu horário político, informou que se eleito colocará um representante dos seguimentos sociais dentro de seu governo. Acho isso o primeiro passo.

  3. Antônio Corretor says:

    Quer dizer que agora escrever “dis” ao invés de “diz” e “seguimentos” ao invés de “segmentos” é culpa do governo.

  4. Marcio Mendes says:

    deixa o cara escrever do jeito que ele sabe rsrsrsr

  5. Robson says:

    Caro Antônio Corretor,
    Acho que é culpa do governo sim. Pense bem, já que se julga tão inteligente…

  6. Fenix says:

    O governo deve proporcionar condições mínimas de educação, mas o povo também não pode ser acomodado a tal ponto de escrever errado simples palavras do cotidiano e dizer que a culpa é do governo!!
    Isso é que precisa mudar! As pessoas adoram citar desculpas para enganar a si mesmo, colocando nas costas de um sistema, que muitas vezes é falho, algo que elas podem resolver se tiverem o mínimo de interesse na mudança de suas próprias realidades.
    E me poupe, qualquer escola, por mais deficiente que seja, jamais explicaria errado essas palavras!! ACORDA BRASIL!

Deixe um comentário