Húmus – livro de Raul Brandão



Autor:
Editora:
Compre no Submarino

Humus, livro de Raul BrandãoEnviado por Guilherme Lopes da Silveira - Em 1917, o mundo recebe a primeira obra existencialista e a renega. Embora muitos estudiosos deem esse título a outros livros, Húmus foi, sim, a primeira a abordar a temática. Então por que, tendo em vista esse fato, ela não é aceita como realmente é? Por simples questão, no caso de resposta, de falta de maturidade. Um mundo decadente nunca estará apto a se ver refletido tão cruelmente pelos olhos de um decadentista português. Raul Brandão discorre sobre o cotidiano falido que a sociedade mantinha àquele tempo e, entre a fina divisa da dicotomia loucura x razão, divide o livro com Gabiru, seu alterego, que, sob os olhos da minha leitura, mais se faz concreto que o próprio Raul. Tornando-se, então, mais real, enquanto Raul vira projeção.

O livro todo é um avanço. Dividido em 19 capítulos e esses capítulos subdivididos por datas, como em cartas, pouco importa a ordem de leitura. Há, claramente, uma linearidade, mas nada que impeça a aventura de subverter as regras e lê-lo de outras formas. O impacto será igualmente forte. Da maneira como se constrói, nota-se que há uma tradução do que a própria história quer dizer. Continuá-lo é desgastante em princípio, por outro lado, após algumas páginas, deixá-lo é impossível. Ele vai te consumir e vai te mudar. Aquele que o tiver em mãos e o terminar exatamente como começou não o leu, só o evitou. Húmus te provoca.

Com personagens sem nenhum aprofundamento psicológico ou físico, deixa-se, cada vez mais, claro de que o enfoque é quase absoluto na história em si. Desde a maneira que a mesma se impõe aos acontecimentos históricos que o livro narra. Olhá-lo, mais uma vez, por curiosidade é quase pecado. Se eu tivesse a chance de o tê-lo original, já que li uma cópia, o faria unicamente pra pô-lo numa moldura e o colocar acima da minha cama. Não cabe em palavras o abraço de theia que foi me jogar no ambiente que Raul foi capaz de criar com tanta maestria.

Publicado originalmente em seu blog, Devaneio Quotidiano.

Livros, Resenhas dos Leitores
Sem comentários para “Húmus – livro de Raul Brandão”

Deixe um comentário