Fabrício Carpinejar | Livros, blogs e sua história



desenho CarpinejarFabrício Carpinejar é mestre em Literatura Brasileira pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul, jornalista, poeta e escritor, sendo nesses dois últimos o autor de dezoito livros e vencedor de inúmeros prêmios. Filho dos portas Carlos Nejar e Maria Carpi, Fabrício Carpi Nejar nasceu no dia 23 de outubro de 1972 em Caxias do Sul, no Rio Grande do Sul. Aos 2 anos mudou-se com a família para a capital Porto Alegre.

Em 1994, nasce sua primeira filha, Mariana, fruto de um relacionamento com Géssica. Dois anos depois se transferiu para São Leopoldo ao casar-se com Ana Lúcia. Em 1998, Fabrício Carpinejar lançou seu primeiro livro “As Solas do Sol”, aonde adotou a junção dos sobrenomes de seus pais no nome artístico e no ano seguinte recebe da União Brasileira de escritores o prêmio Fernando Pessoa, o primeiro de muitos.

Em 2002, Carpinejar recebe mais dois prêmios e conclui seu Mestrado com o estudo “A Teologia do Traste na poesia de Manoel de Barros, em contraposição à Psicologia da Composição de João Cabral”. Ainda no mesmo ano, é convidado a ser patrono da Feira do Livro de Barra do Ribeiro (RS) e nasce seu segundo filho, Vicente.

Em 2003 ganhou mais prêmios e prestígio nacional ao publicar o livro “Caixa de Sapatos” que, em seguida, ganhou uma versão para ser lançado em Portugal. No mesmo ano lança seu blog, onde posta diversas crônicas e se torba colunista da revista Vida Simples. Em 2004 publicou seu primeiro livro infantil: “Porto Alegre e o Dia em que a Cidade Fugiu de Casa”, com ilustrações de Eduardo Nasi. É indicado por quatro anos seguidos (2004, 2005, 2006 e 2007) como o Patrono da Feira do Livro de Porto Alegre.Fabrício CarpinejarAinda em 2006, Fabrício Carpinejar também foi convidado a ser patrono das Feiras do Livro de Esteio e de Taquara. É desde essa época que ele substitui Luis Fernando Veríssimo durante as férias no Caderno Donna do Jornal Zero Hora.

Em 2008 seu blog supera a marca de um milhão de visitantes e a cantora Ana Carolina interpreta um trecho do seu livro “Meu Filho, Minha Filha” em um de seus shows. É convidado para inúmeros eventos, sendo considerado um dos autores mais requisitados do país. Nesse mesmo ano se separa definitivamente de Ana Lúcia assumindo a guarda partilhada do filho Vicente e decide voltar para Porto Alegre.

No ano seguinte lança o primeiro livro nacional que reúne frases do twitter, “www.twitter.com/carpinejar”, a poesia em 140 caracteres e em dezembro lança um novo blog, abandonando a versão anterior lançada há seis anos. Em 2010 e 2011, Fabrício Carpinejar lançou mais dois livros.

Livros publicados de Fabrício Carpinejar

  • As Solas do Sol (1998)Fabrício Carpinejar
  • Um Terno de Pássaros ao Sul (2000)
  • Terceira Sede (2001)
  • Biografia de Uma Árvore (2002)
  • Caixa de Sapatos – Antologia (2003)
  • Porto Alegre e o Dia em que a Cidade Fugiu de Casa (2004)
  • Cinco Marias (2004)
  • Como no Céu / Livro de Visitas (2005)
  • O Amor Esquece de Começar (2006)
  • Filhote de Cruz Credo (2006)
  • Meu Filho, Minha Filha (2007)
  • Um Terno de Pássaros ao Sul (2008) – edição comemorativa com poemas inéditos
  • Canalha! (2008)
  • Diário de um Apaixonado (2008)
  • Terceira Sede (2009) – nova edição
  • www.twitter.com/carpinejar (2009)
  • Mulher Perdigueira (2010)
  • O Menino Grisalho (2011)
  • Borralheiro (2011)
  • Votupira: O Vento Doido da Esquina (2011)

Prêmios de Fabrício Carpinejar

  • “Prêmio Fernando Pessoa” (1999) – União Brasileira de Escritores
  • “Prêmio Destaque Literário” (2000) – 46ª Feira do Livro de Porto Alegre
  • “Prêmio Açorianos de Literatura” (2001)
  • “Prêmio Marengo D’Oro” (2001) – Itália
  • “Prêmio Cecília Meireles” (2002) – União Brasileira de Escritores
  • “Prêmio Açorianos de Literatura” (2002)
  • “Prêmio Nacional Olavo Bilac” (2003) – Academia Brasileira de Letras
  • “Prêmio Érico Veríssimo” (2006) –  Câmara Municipal de Vereadores de Porto Alegre
  • “Prêmio Jabuti” (2009) – categoria Contos e Crônicas
Além desses, Fabrício Carpinejar foi finalistas em outros prêmios:
  • “Prêmio Açorianos de Literatura” (1999)
  • “Prêmio Jabuti” (2006) – categoria Poesia
  • “Prêmio Fato Literário (2009) – Grupo RBS
 
Autores

Um comentário para “Fabrício Carpinejar | Livros, blogs e sua história”

  1. Jean Almeida says:

    Fabrício é mesmo genial!

Deixe um comentário